Tabu adoção homoafetiva
Tabu adoção homoafetiva
16/11/2020

É difícil haver coisa mais desproposital que posicionar-se em desfavor da adoção por casais da comunidade LGBTQIA+ quando há números que registraram 34 mil crianças e adolescentes este ano vivendo em situação de acolhimento institucional no Brasil (Agência Senado: 22/05/2020). Tudo por um argumento descabido, por capricho de simetria doutrinária, completamente irrelevante e supérfluo.

Histórias de abandono poderiam ter um final feliz. Muitas destas 34 mil crianças sentiriam alívio do sentimento de rejeição vivido. Milhares delas teriam uma família, educação, cuidados especiais e certamente um destino mais promissor, se os milhares de casais formados por pessoas do mesmo sexo sejam estimulados a escolher a paternidade como continuidade do compromisso assumido com o Registro de casamento tão crescente entre os tais.

Pastor Marcos Gladstone

Leia também

Tabu adoção homoafetiva

Tabu adoção homoafetiva

16/11/2020 Leia
Virtude da gratidão

Virtude da gratidão

24/10/2020 Leia
Domesticando cobras

Domesticando cobras

24/10/2020 Leia
As 7 lições do deserto

As 7 lições do deserto

24/10/2020 Leia
A restauração da Porta do Peixe

A restauração da Porta do Peixe

24/10/2020 Leia